Politica

Senadores escolhem emendas que apresentarão à LDO 2020

Senadores escolhem emendas apresentarão LDO 2020
Avatar
Escrito por Pierre

Nesta semana, as comissões permanentes do Senado Federal escolherão as emendas que apresentarão ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO de 2020, o PLN nº 05/2019. Cada comissão pode apresentar até duas emendas.

A Comissão de Assuntos Econômicos vota suas emendas amanhã, 02/07, às 10h. O relator é o senador Otto Alencar (PSD/BA). No mesmo dia, às 11h, vota a Comissão de Serviços de Infraestrutura. O relator é o senador Rodrigo Pacheco (DEM/MG). Em seguida, a Comissão de Educação, Cultura e Esporte analisa suas emendas, com relatoria do senador Confúcio Moura (MDB/RO).

A Comissão de Assuntos Sociais escolhe suas emendas na quarta-feira, 03/07, às 9h30, o relator é o senador Styvenson Valentim (Podemos/RN). Em seguida, às 10h, a Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática vota suas sugestões. O relator é o senador Paulo Rocha (PT/PA).

Às 11h, acontece reunião da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária e o relator é o senador Lasier Martins (Podemos/RS). A Comissão de Meio Ambiente escolhe suas emendas às 13h. O senador Jean Paul Prates (PT/RN) é o relator. A Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo faz a reunião no mesmo dia e a relatoria é do senador Izalci Lucas (PSDB/DF).

O parecer preliminar da LDO foi aprovado no dia 25 de junho na Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização. Ficou estabelecido o prazo de até as 18h do dia 4 de julho para deputados e senadores oferecerem sugestões de mudanças.

LDO: Lei orientadora do orçamento

O projeto da LDO prevê para 2020 um déficit primário de R$ 124,1 bilhões para o governo central, que abrange as contas do Tesouro Nacional, da Previdência Social e do Banco Central. A meta para este ano é de um deficit de R$ 139 bilhões.

Conforme explica o advogado Jaques Reolon, a LDO orienta a elaboração da proposta orçamentária e a execução do Orçamento no ano seguinte. Além da meta fiscal, a lei traz regras sobre as ações prioritárias do governo, sobre transferência de recursos federais para estados, Distrito Federal e municípios e para o setor privado e sobre a fiscalização de obras executadas com recursos da União, entre outras.

Ao analisar a LDO, os parlamentares verificam o passado e projetam o futuro do País, buscando antecipar possíveis crises financeiras ou eventos que possam impactar o crescimento econômico. A Lei estabelece quais serão as metas e prioridades para o ano seguinte. Para isso, fixa o montante de recursos que o governo pretende economizar; traça regras, vedações e limites para as despesas dos Poderes; autoriza o aumento das despesas com pessoal; regulamenta as transferências a entes públicos e privados; disciplina o equilíbrio entre as receitas e as despesas; indica prioridades para os financiamentos pelos bancos públicos”, esclarece Jaques Reolon.

Deixe uma resposta