Noticias

Relator da Previdência responde por rede social, diz nota na coluna do Estadão

» Pós-verdade. Incluído na lista de investigados pelo Supremo, o relator da reforma previdenciária, deputado Arthur Maia (PPS-BA), tem sido obrigado a repetir nas redes sociais que a proposta não criará um sistema diferenciado para favorecer os parlamentares.

Para ministro Mendonça Filho, Congresso assina morte política se não passar reformas é o que mostra série de notas na coluna do Estadão

» Mesmo barco. Para o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), não existe o risco de a crise política impedir a votação das reformas. Na sua avaliação, trata-se de uma questão de sobrevivência política.

» É a economia. “Se o Congresso não votar as reformas, a repercussão econômica será péssima e os parlamentares estarão assinando sua sentença de morte política. Os políticos bons e ruins irão todos para o mesmo saco”, avalia.

Reforma trabalhista vai ser acelerada na Câmara é o título da nota principal na coluna do Estadão

No meio do terremoto provocado pela divulgação do conteúdo das delações feitas pelos executivos da Odebrecht, o governo resolveu acelerar a discussão da reforma trabalhista. Em conversas feitas nessa quinta, Michel Temer e alguns de seus principais aliados concluíram que precisam acelerar a agenda de reformas para deixar claro que o governo não está paralisado. Por isso, como o conteúdo da reforma previdenciária ainda está sendo negociado, o governo correrá com a trabalhista, numa espécie de blindagem contra a crise política.

» Segue o jogo. A pressa com a reforma trabalhista não significa que o governo jogou a toalha na reforma previdenciária. Muito pelo contrário. A proposta segue sendo a maior prioridade do governo Temer. Mas o governo reconhece que precisa de mais negociações para aprovar o projeto.

Lula deve enfrentar primeiro julgamento entre maio e junho, diz nota na coluna do Estadão

» Tempo correndo. Mesmo lançando a sua candidatura presidencial na entrevista de ontem, Lula deverá enfrentar seu primeiro julgamento entre maio e junho. Se for condenado, o julgamento em segunda instância poderá ocorrer até a virada do ano.

Deixe uma resposta