Noticias

Renan Filho aponta rejeição ao governo Temer, mostra série de notas na coluna do Estadão

» De pai pra filho. O governador Renan Filho (PMDBAL) contou em solenidade do TRF-5, no Recife, que pesquisa interna encomendada por ele apontou Michel Temer com 90% de rejeição no seu Estado.

» DNA. O governador é filho de Renan Calheiros (PMDB-AL), líder da nova oposição ao Planalto.

Planalto registra clima de insatisfação na bancada do Nordeste, diz nota na coluna do Estadão

» Insatisfação. O Planalto já registrou o clima de insatisfação na bancada de parlamentares do Nordeste, que cobra ações políticas para aquecer a economia da região, bastante enfraquecida com a crise.

» Tô avisando. O líder do PSB, senador Fernando Bezerra (PE), procurou Michel Temer pedindo redução da taxa de juros do Fundo do Nordeste. “Quando pedirem voto a favor das reformas, certamente esse ponto será lembrado”, diz.

Relator da Reforma Política propõe regra nova para divulgação de pesquisas antes das eleições, diz nota na coluna do Estadão

» Sem boca de urna. O relator da reforma política, Vicente Cândido, quer acabar com as pesquisas eleitorais sete dias antes do pleito.

Para cortar despesas, governo cria o Táxigov é o título de nota principal na coluna do Estadão

O Planejamento determinou aos ministérios que não prorroguem contratos com empresas de transporte de servidores. No lugar disso, está sendo implementado o Táxigov, uma espécie de táxi do governo. A expectativa é de gerar economia de R$ 20 milhões por ano aos cofres públicos. Os ministérios gastam hoje R$ 32 milhões com transporte. Em média, são feitas 490 mil corridas por ano. O cronograma prevê que ministérios e Presidência migrem para o Táxigov até março de 2018. Os táxis poderão ser chamados por meio de um aplicativo.

» Fila. O calendário define que o Ministério da Defesa será o último a aderir ao Táxigov, entre fevereiro e março de 2018. A Presidência migra entre outubro e novembro deste ano.

Maurício Quintella deve apresentar nova Infraero em um mês, diz série de notas na coluna do Estadão

» Tá perto. O ministro dos Transportes, Maurício Quintella, diz que em 30 dias o governo terá o novo modelo de gestão da Infraero definido.

» Dividir para sobreviver. A proposta passa por criar quatro subsidiárias da empresa: serviço, navegação, participações e aeroportos.

Deixe uma resposta