Reforma Política

Sem barreira, nanicos vão aumentar é chamada na capa do Globo

Se a chamada cláusula de barreira não for aprovada, na reforma política em discussão no Congresso, o número de partidos no país, já alto (35), pode explodir. Há 67 legendas na fila para obter registro. Partidos como PR, PP e PT resistem em votar a proposta antes de acordo sobre a criação do distritão e do fundo público para campanhas. Apesar do nome Muda Brasil, o 36º partido brasileiro está longe de apresentar uma novidade no cenário político nacional. A legenda evita se posicionar em algum campo ideológico, definindo-se como de centro, e tem o sucesso na sua criação atribuído ao ex-deputado Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão e principal liderança do PR. O presidente da nova legenda, José Renato da Silva, afirma que Valdemar o ajudou apenas “não atrapalhando”, mas reconhece que está no PR a origem de seu partido.

Sobre o Valdemar, tenho afeição por ele. Fiquei 15 anos no PR. Ele não me ajudou como eu gostaria. A ajuda que eu tive dele foi de não atrapalhar, de me dar liberdade de conversar com ex-companheiros. Alguns puderam me ajudar. Tive apoio de pessoas de praticamente todos os partidos, mas claro que no PR tem uma afinidade grande e foi uma boa base do apoio que eu tive — afirmou José Renato.

O pedido de registro do partido já recebeu parecer favorável do Ministério Público Eleitoral. Com isso, falta apenas o ministro Napoleão Nunes Maia preparar seu voto e levar o caso ao plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com a aprovação até o dia 7 de outubro, a legenda já estará apta a disputar as eleições de 2018.

José Renato afirma que está aguardando a aprovação pelo TSE antes de concluir as negociações com parlamentares interessados em se filiar à legenda. Ele destacou que, como o prazo para filiações para quem quer disputar cargos em 2018 só se encerra em abril do próximo ano, há mais tempo para negociações. Sobre a ideologia do novo partido, o presidente afirma que será uma legenda de “propostas”, mas sem deixar claro quais ideias defenderá.

Defendemos ser um partido de propostas. Nesse linguajar popular, de direita e esquerda, seria de centro. Temos algumas coisas, como o pensamento de que o ser humano é o objetivo maior da política, de que temos de fazer tudo pensando no bem-estar do cidadão. Sobre a participação do estado, pensamos que tem de ser o mínimo possível. É preciso deixar valorizar os segmentos da sociedade — afirma o presidente do Muda Brasil.

A legenda chegou a flertar com o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que procurava um partido para disputar a Presidência. A vinculação com Valdemar, porém, acabou afastando o deputado, decidido a se filiar ao PEN, que vai mudar de nome para Patriota.

O PR, de Valdemar Costa Neto, é um dos partidos que está minando o acordo fechado na Câmara para aprovar a PEC que prevê a criação de barreiras para o crescimento desenfreado de novas legendas no Brasil. Do centrão, o PR vincula o apoio ao relatório da deputada Shéridan (PSDB-RR), que cria as cláusulas de barreira e determina o fim das coligações proporcionais, à análise de outra parte da reforma política: só trata do assunto se não houver mudança no atual sistema eleitoral, que privilegia partidos que têm bons puxadores de votos, assunto que é tratado em outra Proposta de Emenda Constitucional, relatada pelo deputado Vicente Cândido (PT-SP).

Conteudo originalmente postado no Portal :

Deixe uma resposta