Lava Jato

Delação foi vingança da Odebrecht, diz Bendine é o título de matéria no Globo

O ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine pretende prestar depoimento à Lava-Jato e se defender das acusações da Odebrecht. Ele foi preso na última quinta-feira, na 42ª fase da operação, depois de ter sido delatado pela empreiteira.

O empresário Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, um dos executivos do grupo, disseram ter sido achacados pelo publicitário André Gustavo Vieira — que pediu propina de 1% na liberação de um empréstimo de R$ 1,7 bilhão pelo Banco do Brasil e recebeu R$ 3 milhões em espécie —, que falava em nome de Bendine, ex-presidente do banco.

O advogado Pierpaolo Bottini, defensor de Bendine, afirmou que ele vai esclarecer todos os pontos apresentados pelos investigadores. Bendine alega ter sido delatado pela Odebrecht porque tomou medidas rígidas contra a empresa ao assumir a Petrobras. Ele chegou ao cargo em 2015, nomeado por Dilma Rousseff, com a missão declarada de sanear a estatal, àquela altura já no centro do escândalo da Operação Lava-Jato.

Bendine passou a primeira noite isolado na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba. Enquanto Bendine ficou numa cela sozinho, os irmãos André Gustavo Vieira e Antônio Carlos Vieira Junior, também presos na operação, dividiram outra cela.

Bendine foi colocado numa ala oposta à da cela de Marcelo Odebrecht, delator que ajudou as investigações sobre esquema de corrupção. Para a forçatarefa da Lava-Jato, André Gustavo era operador de propina. Na delação do Grupo JBS, o executivo Ricardo Saud disse que André Gustavo era operador de quatro líderes do PMDB no Senado.

PRESO ISOLADO

Fontes da PF disseram ao GLOBO que há uma orientação para que, desde a chegada a Curitiba, Bendine seja mantido separado dos demais presos do local.

Na operação de quinta, batizada de Cobra em referência ao codinome de Bendine na “planilha da propina” da Odebrecht, o Ministério Público Federal (MPF) disse que havia risco de fuga dos três. Bendine estava com passagem comprada para Portugal e embarcaria ontem. André Gustavo viajaria para Lisboa na quinta. A defesa de Bendine apresentou a passagem de volta ao juiz Sergio Moro. Uma das justificativas para a prisão é que Bendine poderia fugir, pois tem nacionalidade brasileira e italiana.

Conteudo originalmente postado no Portal :

Deixe uma resposta