Lava Jato

Delatora afirma que Palocci acertou caixa 2 para Haddad, diz o Estadão

O ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda/Casa Civil nos Governos Lula e Dilma) acertou com a empresária Mônica Moura o pagamento de caixa 2 para a campanha de Fernando Haddad (PT) à Prefeitura de São Paulo em 2012, disse a delatora ao Ministério Público Federal (MPF).

Segundo anexo da delação premiada de Mônica Moura, Palocci apresentou a “exigência de sempre”, ou seja, que parte do valor pago a ela e seu marido, o marqueteiro João Santana, seria por fora, utilizando recursos não contabilizados recebidos pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Seriam R$ 30 milhões oficialmente, enquanto o por “fora” ficaria em R$ 20 milhões. O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto também participou das negociações devido ao “expressivo valor que seria pago por fora”, segundo a delatora.

No anexo de sua delação, Mônica relata que foi orientada a procurar a Odebrecht, que ficaria responsável por pagar a maior parte por fora – R$ 15 milhões.

A forma de receber dinheiro teria sido acertada com o executivo Hilberto Mascarenhas, que chefiou de 2006 a 2015 o Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, conhecido como departamento da propina da empreiteira.

Teriam sido entregues R$ 5 milhões em dinheiro vivo em hotéis e flats. Mais R$ 10 milhões foram depositados pela Odebrecht em uma conta no exterior, informou a delatora.

Segundo a delatora, depois de cobranças a Antonio Palocci e João Vaccari, ela foi informada que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha se “comprometido pessoalmente” a ajudar o casal a receber os outros R$ 5 milhões referentes ao caixa 2 que teriam faltado.

Vaccari disse que prepostos de Lula já haviam articulado com o empresário Eike Batista o pagamento e que agora, finalmente, eles receberiam”, diz o anexo da delação.

A dívida de R$ 5 milhões da campanha de Haddad teria sido paga em meados de 2013 por Eike, também utilizando uma conta no exterior.

A assessoria de Haddad disse que o ex-prefeito não tem conhecimento de nenhum acerto fora o oficial. Lembrou, ainda, que sua administração contrariou interesses da Odebrecht. José Roberto Batochio, advogado de Palocci, disse que ainda não conhece a íntegra do depoimento. Já o advogado Luiz Flávio Borges D’Urso, de Vaccari, disse que a delatora mentiu.

Deixe um Comentario