Governo

Governo quer ministros em classe executiva é o título da nota principal na coluna do Estadão

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018, em discussão no Congresso, devolve a autoridades o privilégio de voar em classe executiva. A proposta do governo repete o texto de anos anteriores que permite a ministros, congressistas, procuradores e servidores viajar a serviço nessa categoria, que dá acesso a poltronas mais confortáveis e reclináveis, com maior espaço para as pernas e atendimento vip. No ano passado, contudo, o mimo foi derrubado pelo Congresso visando economizar dinheiro público. Desde então, viagens só de econômica.

» Jeitinho. Para escapar da classe econômica, ministros têm solicitado jatinhos da FAB para suas viagens ao exterior. É justamente o que o Ministério do Planejamento quer evitar ao liberar a classe executiva.

» Economia. Outra justificativa é que as viagens na classe econômica são cansativas, o que obriga as autoridades a se deslocarem com antecedência para seus compromissos, gerando mais gastos com diárias.

Deixe uma resposta