Eleições 2018

Alckmin e Doria travam ‘combate aéreo’ opondo voo comercial e jatinho, diz a Folha

Geraldo Alckmin (PSDB) afivelou o cinto e decolou. Mas antes tirou foto para postar em suas redes sociais.

Foi nesta terça-feira (12), ao viajar para Brasília para encontros com representantes do agronegócio.

O governador de São Paulo, disposto a turbinar sua candidatura a presidente da República em 2018, publicou na internet imagem sua na fila de embarque do aeroporto de Congonhas, antes de pegar um avião comercial.

Alckmin já vinha optando por voos de carreira, mas a exposição da escolha é novidade e ele disse a aliados que só irá usar linhas regulares daqui em diante —ao menos a destinos servidos por elas.

Mais que isso, a opção indica uma tentativa de se diferenciar do afilhado político João Doria (PSDB), que também se coloca como pré-candidato a presidente e tem rodado o país para eventos.

Só que, no caso do prefeito da capital, as viagens são em seu próprio jato.

Na mesma manhã em que Alckmin enfrentou fila no aeroporto, Doria defendeu o uso da aeronave particular. Disse, durante evento com executivos em hotel na região da avenida Paulista, que ele mesmo banca seus voos.

“Eu me tornei um empresário de sucesso trabalhando. Devolvo meu salário para o terceiro setor, o carro que está aí fora é meu, as viagens quem paga sou eu, o helicóptero que eu uso é meu, eu uso meu avião. Eu não preciso de dinheiro público para essas coisas”, disse Doria, que tem até wi-fi em sua aeronave.

Os encontros de Alckmin em Brasília estavam em sua agenda oficial. Na legenda da foto em Congonhas, ele escreveu que se tratava de “importantes compromissos em prol da agropecuária paulista”, embora na realidade ele tenha ido para tentar cimentar o apoio do setor a seu pleito presidencial e ouvir as queixas dos produtores.

Deixe uma resposta