Noticias

Huck descarta candidatura e diz que não quer ser político é o título de matéria no Globo

O apresentador Luciano Huck não só descartou ontem uma candidatura à Presidência da República em 2018 como afirmou que não pretende entrar na carreira política. Em artigo publicado no jornal “Folha de S. Paulo”, Huck afastou as especulações sobre a sua candidatura, como antecipou o colunista do GLOBO Lauro Jardim. Huck destacou que seus pais, sua mulher, a apresentadora Angélica, os filhos, familiares e amigos impediram que ele se “deixasse levar pelos sons dos chamados quase irresistíveis”.

À tarde, em evento promovido pela revista “Veja”, o apresentador afastou a imagem de que pretende sair da televisão em busca de cargos políticos.

Não vou ser candidato. Não quero ser político, não sou político — afirmou ele, que, no entanto, pretende manter ligação com os movimentos Agora! e Renova Brasil, que buscam formar novos quadros para a política nacional: — Quero usar a voz que eu tenho. Como a gente pode contribuir para ter um país mais legal?

No artigo publicado na “Folha de S.Paulo”, Huck disse ainda que vai trabalhar de acordo com a “fé” que tem no Brasil.

Quem se interessa pelo que sou e faço pode acreditar: vou atuar cada vez mais, sempre de acordo com minhas crenças, em especial com a fé enorme que tenho neste país. Contem comigo. Mas não como candidato a presidente”, escreveu o apresentador de televisão, que prometeu ir “além da voz amplificada pela televisão, do eco das redes sociais e do instituto que criou. “E, para isso, não são necessários partidos, cargos, nem eleições”.

Huck reforçou a visão de que é fundamental “sair da proteção e do conforto das selfies no Instagram para somar forças na necessária renovação política brasileira” — o que está bem distante, segundo ele, de postular uma candidatura.

O momento de total frustração com a classe política e com as opções que se apresentam no panorama sucessório levou o meu nome a um lugar central na discussão sobre a cadeira mais importante na condução do país (…) Mas tenho hoje uma convicção ainda mais vívida e forte de que serei muito mais útil e potente para ajudar meu país e o nosso povo a se mover para um lugar mais digno, ocupando outras posições no front nacional”, escreveu Huck.

JOGO ABERTO ATÉ AGOSTO”

À tarde, o apresentador disse também que não está descartado apoiar alguém em 2018:

Tem que saber quais serão os candidatos a presidente no ano que vem. Acho que é um jogo muito aberto até agosto.

Durante o evento, ao responder sobre o seu apoio nas eleições de 2014 ao candidato do PSDB, Aécio Neves, o apresentador respondeu:

Óbvio que me decepcionei. Quem nunca se decepcionou com um amigo?

Conteudo originalmente postado no Portal :

Deixe uma resposta