Noticias

Base avisa que ou nova Previdência é votada na primeira semana de dezembro, ou está enterrada, diz série de notas no Painel da Folha

Bate o sino O Planalto vai começar a contar votos a favor da reforma da Previdência na próxima semana. Líderes de todos os partidos foram incumbidos de entregar ao presidente Michel Temer o número de deputados favoráveis às novas regras em suas bancadas. O governo corre para levar o assunto ao plenário da Câmara na semana do dia 6 de dezembro. Parlamentares favoráveis ao texto avisaram que nem eles terão coragem de votar o tema próximo ao Natal. Seria um presente para a oposição.

Grão em grão Hoje, as projeções variam entre 250 e 270 votos. São necessários 308 para aprovar a reforma. Mesmo sem número, a avaliação é a de que o governo conseguiu desenterrar a proposta, já dada como morta.

CEP e CPF A oposição decidiu atacar um flanco considerado exitoso no recente esforço pela Previdência: a propaganda. Chico Alencar (PSOL-RJ) solicitará detalhamento dos gastos com a campanha, quais agências fizeram as peças, se elas afetaram o contingenciamento e se houve remanejamento de verba para bancá-las.

Vai ou racha Aliados do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), avaliam que ele colocará o tema em votação mesmo que não haja apoio suficiente. Quem o conhece vê no gesto seu aceno mais firme ao mercado, de olho em 2018.

X da questão A já esperada saída de Antonio Imbassahy (PSDB-BA) da Secretaria de Governo terá papel decisivo no desenrolar da reforma. Ao deixar o posto, acalmará PMDB e PP. Só não pode parecer ter sido expulso, para não tirar os 30 votos que o PSDB daria hoje à reforma.

Eu avisei Aliados de Imbassahy no tucanato dizem que, para evitar mais exposição, seu desembarque não pode ultrapassar a próxima semana. Ala expressiva do partido o orientou a pedir demissão já na quarta (22), quando todos davam sua queda como certa.

Eu avisei 2 Naquele dia, ouviu conselhos nesse sentido de Aécio Neves (PSDB-MG), em conversa fechada no gabinete do mineiro com mais quatro deputados.

Deixe uma resposta