Noticias

Ministros rechaçam anular delação vazada é o título da nota principal na coluna do Estadão

A indicação do ministro Gilmar Mendes de que vazamentos de informação podem comprometer a validade das delações da Odebrecht não encontra eco em parte dos ministros do STF. Três integrantes da Corte, ouvidos reservadamente pela Coluna, descartam a possibilidade de anular os acordos ou as investigações. “Você acha mesmo que o Supremo anularia essa delação da Odebrecht?”, perguntou um ministro do STF. “Se gerasse nulidade, os próprios acusados começariam a vazar e tudo ficaria resolvido para eles”, completou outro magistrado.

Temer ligou para Maria Sílvia e a confirmou no cargo, diz nota na coluna do Estadão

» Apoio. Michel Temer telefonou ontem para a presidente do BNDES, Maria Silvia. Disse que ela só sairá da equipe no último dia de seu mandato, em 2018. Criticada por empresários, a executiva ouviu do presidente que tem sua total confiança.

Senadores querem votar abuso de autoridade antes de fim do foro, diz nota na coluna do Estadão

» Fila. Senadores costuram um acordo para aprovar o projeto de abuso de autoridade antes da análise do fim da prerrogativa de foro. O primeiro está pronto para votação. O segundo precisa de mais três das cinco sessões regimentais.

Renan retirou PEC que proíbe governo de mudar contratos por medida provisória, diz série de notas na coluna do Estadão

» Ele de novo. Renan Calheiros (AL) apresentou proposta de emenda que proíbe o governo de editar Medida Provisória para alterar contratos. Foi mais um capítulo da disputa entre Renan, líder do PMDB no Senado, e o Planalto.

» Amor sincero. Como resposta ao gesto de Renan, o líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), agiu rápido e apresentou proposta semelhante, mas abrindo brecha para o Executivo usar a MP em alguns casos. Renan, então, retirou a PEC. “Não quero brigar com o governo”, disse ele.

PSDB e PMDB disputam presidência da Vale, diz série de notas na coluna do Estadão

» Cabo de guerra. A presidência da Vale expôs nova ferida entre o PMDB e o PSDB. Os dois partidos brigam para indicar o sucessor de Murilo Ferreira.

» Cotados. Entra no páreo Clovis Torres, diretor de RH da Vale. Disputam, ainda, o presidente do Banco do Brasil, Paulo Rogério Caffarelli, e o secretárioexecutivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia.

Deixe uma resposta