Noticias

Deputados e senadores do PMDB lideram repasses, diz o Estadão

Ao chegar ao Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer passou a dar prioridade para parlamentares da base de apoio ao seu governo ao liberar recursos para emendas. O partido que mais recebeu verbas em 2016 foi o seu, o PMDB. Em 2015, havia sido o PT, da presidente cassada Dilma Rousseff.

Dos cem parlamentares que mais receberam emendas a partir de maio do ano passado, apenas 18 não eram de partidos aliados. No ranking dos dez primeiros, só um parlamentar é da oposição, o deputado Afonso Florence, do PT da Bahia.

No topo da lista está o deputado Fernando Giacobo (PR-PR), que foi eleito primeirosecretário da Câmara no mês passado. Ao todo, o deputado recebeu mais de R$ 14 milhões em emendas. Ao saber do resultado pelo Estado, o parlamentar comemorou.

“Eu sou um deputado municipalista. Nunca tive problema em conseguir emendas, em governo nenhum”, afirmou.

Já em 2015, na lista dos dez primeiros, seis deputados faziam oposição ao governo Dilma, a começar pelo campeão de emendas, o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEMRJ). “Eu não sei por que estou no topo dessa lista, quem cuida da liberação de emendas é a minha assessoria. Mas eu fiz muita parceria com a prefeitura do Rio em 2015, que apoiava o governo da ex-presidente Dilma, então pode ser isso”, disse.

Crítica. O terceiro da lista em 2015 foi o senador tucano Flexa Ribeiro (PSDB-PA). Já a quinta colocada foi a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), que havia deixado o PT naquele ano fazendo duras críticas a Dilma e à antiga legenda.

Para o líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC-SE), o valor liberado em emendas mostra que Temer conseguiu estabelecer uma “relação de respeito” com o Congresso. Ele negou, porém, que o governo tenha favorecido deputados da base. “No Congresso, ninguém pode reclamar, nem a base nem a oposição”, afirmou.

Deixe uma resposta