Noticias

André Moura quer legenda do PMDB para disputar Senado, diz nota na coluna do Estadão

» Tentado. O líder do governo no Congresso, deputado André Moura, negocia trocar o PSC pelo PMDB para disputar o Senado, em 2018. O plano inicial era o governo de Sergipe, mas a realidade se impôs. 

PMDB e PP comandam Agricultura há 18 anos, diz série de notas na coluna do Estadão

No centro do escândalo desvendado pela Operação Carne Fraca, o Ministério da Agricultura é um condomínio do PP e do PMDB há 18 anos. Desde 1999, os dois partidos indicaram 10 dos 11 ministros nomeados por FHC, Lula e Dilma. De 2007 para cá, seis eram filiados ao PMDB. A dobradinha foi retomada no ano passado, quando Michel Temer nomeou Blairo Maggi. O atual ministro era do PR, mas migrou para o PP a fim de assumir a Agricultura. Os investigadores dizem que PP e PMDB receberam propina do esquema que vendia carne podre.

» Puxando a rede. A primeira fase da Operação Carne Fraca não mirou políticos. Investigadores dizem que os nomes podem aparecer a partir da análise do resultado das buscas e apreensões. 

» Inviável. A indicação do deputado Sérgio Souza (PMDB-PR) para a presidência da Comissão de Agricultura subiu no telhado. Entre os investigados está Ronaldo Troncha, chefe de gabinete de Souza de abril de 2015 a agosto de 2016. 

» Lambança. Logo que soube que havia caído no grampo da Carne Fraca, o ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB-PR), ligou para Eliseu Padilha para se explicar. Convalescendo de cirurgia, o chefe da Casa Civil apenas lamentou. 

» Joio e trigo. No Congresso, deputados alvos da Lava Jato se comparam aos artistas que fizeram propaganda para empresas investigadas na Carne Fraca. “Se eles não sabiam dos crimes, por que nós tínhamos de saber das corrupções das empreiteiras?”, perguntou um parlamentar. 

» No timing. Congressistas avaliam que a PF escolheu o momento ideal para deflagrar a Carne Fraca e enterrar de vez a tentativa de anistiar o caixa 2. 

Padilha convoca ministros para discutir Reforma da Previdência, diz série de notas na coluna do Estadão

» Afinando o discurso. O ministro Eliseu Padilha convocou 27 dos 28 ministros para uma reunião na segunda-feira, 20, na Casa Civil. O tema é a reforma da Previdência. Ausências não serão toleradas. 

» No banco. Apenas o ministro da Defesa, Raul Jungmann, não foi convocado para a reunião com Padilha. Os militares devem ficar fora da primeira fase da reforma da Previdência. 

Deixe uma resposta