Noticias

Maioria dos pedidos de inquérito tem um só alvo, diz o Estadão

A maioria dos pedidos de inquérito encaminhados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF) com base nas delações dos 78 executivos e ex-executivos da Odebrecht tem um único alvo de investigação. Enquadram-se nesse caso 64 dos 83 pedidos encaminhados nesta semana à Corte.

Há ainda outros 16 inquéritos com dois investigados e mais dois casos com três investiga- dos. O inquérito que tem mais investigados é o de número 4.437, com cinco alvos.

Ainda sigilosos, os inquéritos não terão mais do que 107 investigados no total. Como uma pessoa pode ser alvo de mais de um pedido, ainda não há o número exato de investigados.

Segunda-feira. O Supremo Tribunal Federal informou que todo o material das delações da Odebrecht encaminhado por Janot só chegará ao gabinete do relator da Lava Jato na Corte, ministro Edson Fachin, a partir da próxima segunda-feira, dia 20.

Antes de chegar, são três etapas prévias: o protocolo, a atuação e a distribuição.

Ontem, eles começaram a ser distribuídos, eletronicamente, ao ministro Fachin, mas o Supremo calcula que es- se trabalho não deve ser concluído hoje. Entre os pedidos de Janot está também a retirada do sigilo de parte das revelações feitas pelos ex-funcionários da empreiteira baiana. Caberá a Fachin decidir. Não há prazo para isso. O ministro precisa despachar caso a caso para levantar o sigilo do material.

O relator da Lava Jato no Supremo será “absolutamente criterioso” ao analisar os pedidos da Procuradoria-Geral da República, segundo informaram fontes ao Broadcast Políticoapós o envio da “segun=da lista de Janot”, encaminhada na terça-feira. A partir da abertura dos inquéritos, Janot pode investigar oficial- mente as autoridades citadas.

Deixe uma resposta