Noticias

Mercado de aviação comercial ensaia recuperação no início de 2017, diz a Folha

O cenário que as empresas brasileiras de aviação comercial esperam pela frente em 2017 é de um mercado ainda encolhido no mercado doméstico, enquanto o segmento internacional dá algum sinal de crescimento.

Elas abriram o ano com um aumento de aproximadamente 5% na demanda por viagens internacionais e oferta de assentos quase 2% superior ao registrado no início do ano passado, segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Isso significa que foram transportados 784 mil passageiros em janeiro nos voos internacionais operados por empresas brasileiras.

O resultado é atribuído a uma reconquista de participação de mercado por parte das companhias nacionais, num momento em que as empresas estrangeiras ajustam suas operações no retraído mercado brasileiro fazendo cortes de frequências ou até interrupção de rotas.

Nesse mercado, a Latam lidera entre as locais, com mais de 70% de participação da demanda de passageiros, seguida de longe pela Gol, que fica em torno de 15%.

DOMÉSTICOS

Já no segmento doméstico, os dados são considerados preocupantes pelo setor. Pelo 18º mês consecutivo, a demanda entrou em janeiro em queda, de 1,8% na comparação com igual período do ano passado, ainda conforme os dados da Anac.

Foram transportados 8,5 milhões de passageiros em voos domésticos no mês.

Em mais um movimento de adaptação, que já se repete há 17 meses, a oferta foi reduzida em 3,2% em relação a janeiro de 2016.

O viés negativo assusta, principalmente, por estar se repetindo, como já ocorreu no ano passado, em dezembro e janeiro.

Os dois primeiros meses do ano são considerados como alta temporada para o setor, quando aumenta a demanda dos viajantes de turismo.

Deixe uma resposta