Noticias

Falha faz contas inativas do FGTS aparecerem zeradas é a manchete do Globo

A partir de amanhã, 4,8 milhões de trabalhadores com data de aniversário em janeiro e fevereiro poderão sacar suas contas inativas do FGTS, num total de R$ 6,96 bilhões. Mas, para muitos desses trabalhadores, a consulta ao site e aplicativo da Caixa mostra as contas zeradas.

Isso ocorre porque a instituição precisou realizar o débito das quantias da conta do FGTS para liberar os recursos no sistema bancário e permitir o saque. A Caixa garante, porém, que essa falha na comunicação não impedirá os resgates. Os trabalhadores com data de nascimento em janeiro e fevereiro, cujo saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começa amanhã, estão encontrando o saldo zerado ao consultar o site ou o aplicativo da Caixa Econômica Federal. Segundo o diretor executivo do FGTS do banco, Valter Nunes, o problema ocorre porque, por “questões operacionais”, os débitos já começaram a ser feitos das contas do Fundo de Garantia, deixando de constar da base de dados do FGTS e entrando no sistema bancário da Caixa. Ele destaca que, apesar de o saldo aparecer como zerado, o trabalhador não será prejudicado e poderá efetuar o saque normalmente. Em caso de dúvida, Nunes orienta a buscar uma agência da Caixa.

É bom esclarecer essa dúvida sobre o sumiço do saldo. Nos saques normais do FGTS, o débito é feito alguns dias antes do pagamento. A conta tem que ser liberada no sistema bancário para que o cliente tenha condições de sacar. Como o volume de pessoas que vão ter acesso aos recursos do FGTS agora é expressivo, nós começamos a fazer esse procedimento antes. Demos início aos débitos do Fundo de Garantia logo após o carnaval, para as contas que serão liberadas agora. Os sistemas de acompanhamento, o aplicativo e o site, vão buscar as informações na base do Fundo de Garantia. Quando a pessoa entra hoje, ela encontra (a conta) zerada porque o dinheiro saiu da base do FGTS e entrou na base no sistema da Caixa, e está liberado — explicou o diretor executivo.

TED A PARTIR DE R$ 5 MIL NÃO PODE SER FEITO SÁBADO

Nunes comentou, ainda, que os trabalhadores que possuem valores acima de R$ 4.999 e pretendem pedir a transferência para outros bancos não devem procurar o atendimento da Caixa aos sábados. Segundo ele, para este tipo de transferência, é necessário efetuar um TED, mas o procedimento depende de outra instituição financeira, que não funciona no sábado:

A operação com TED não será possível no sábado. Já no caso de transferências com valores abaixo de R$ 5 mil, utilizando o DOC, o recurso pode ser transferido no sábado, e a operação é concretizada no próximo dia útil, no caso, na segunda-feira à noite. O dinheiro vai cair na conta do beneficiário na terça-feira.

Para atender aos trabalhadores que vão sacar os recursos das contas inativas, a Caixa montou uma força-tarefa. No sábado, dia 11, 1.841 agências em todo o país estarão abertas das 9h às 15h para auxiliar na liberação do FGTS. Amanhã, na segunda e na terça, as agências abrirão duas horas mais cedo para o atendimento. A Caixa alerta, no entanto, que unidades que normalmente abrem às 9h começarão a atender às 8h e fecharão uma hora mais tarde. Já aquelas que iniciam o atendimento às 11h vão antecipar a abertura para as 9h.

Mais de 4,8 milhões de brasileiros têm direito ao saque em março. O valor total disponível para saque neste mês ultrapassa R$ 6,96 bilhões e equivale a 15,9% do total de recursos em contas inativas.

Cerca de um terço dos beneficiários não precisará ir a uma agência da Caixa para sacar os recursos. Ao todo, 1,65 milhão de trabalhadores receberão automaticamente o crédito em conta, porque são correntistas da Caixa.

Mais de 1,2 milhão, um quarto do total de trabalhadores com contas inativas, poderá sacar com Cartão Cidadão no autoatendimento e em lotéricas e correspondentes bancários. Os demais terão de procurar uma agência do banco. Neste caso, o trabalhador deve procurar uma agência e apresentar número de inscrição do PIS/Pasep, documento de identificação e comprovante de finalização do contrato de trabalho (carteira de trabalho ou o termo de rescisão).

A Caixa Econômica exige a apresentação da carteira de trabalho para os beneficiários de contas inativas que pretendem sacar mais de R$ 10 mil. O diretor executivo do FGTS da Caixa orienta, porém, que todos os trabalhadores apresentem o documento no atendimento do banco, caso haja necessidade de solucionar erros no cadastro.

Orientamos que todos levem a carteira de trabalho. Assim, se surgir alguma dúvida, será possível resolver na hora. Para trabalhadores que a empresa não informou à Caixa o fim do vínculo empregatício e, portanto, cuja conta ainda aparece como ativa, o saque será feito em alguns dias, dependendo do tempo de regularização do sistema. Neste caso, se ele tiver outra conta inativa, poderá sacar, mas precisará retornar depois. O próprio atendente marcará outra data — comentou Nunes.

Conteudo originalmente postado no Portal :

Deixe uma resposta