Noticias

Delator diz no TSE que Temer pediu doação a Marcelo Odebrecht é o título de matéria no Estadão

O ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Claudio Melo Filho confirmou ao ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Herman Benjamin que o presidente Michel Temer participou da reunião no Palácio do Jaburu e solicitou a Marcelo Odebrecht doações para o PMDB na campanha de 2014.

O Estado apurou que Melo Filho confirmou “literalmente” todas as informações por ele entregues no acordo de colaboração premiada com a Lava Jato. O depoimento foi prestado no âmbito da ação que investiga abuso de poder político e econômico na campanha presidencial de 2014 e pode levar à cassação de Temer.

Em seu acordo, que vazou em dezembro, Melo Filho detalha encontro no Palácio do Jaburu no qual participaram, além dele próprio, Temer – na época vicepresidente, disputava a reeleição –, o ministro Eliseu Padilha e Marcelo. “Eu participei de um jantar no Palácio do Jaburu juntamente com Marcelo Odebrecht, Michel Temer e Eliseu Padilha. Michel Temer solicitou, direta e pessoalmente para Marcelo, apoio financeiro para as campanhas do PMDB no ano de 2014.”

Em depoimento à Justiça Eleitoral na semana passada, Marcelo Odebrecht disse não se recordar de Temer ter falado ou pedido os R$ 10 milhões diretamente. O herdeiro da empreiteira confirmou o jantar no Jaburu e que o encontro era sobre tratativas para as doações ao PMDB nas eleições de 2014. Mas disse que não houve pedido expresso de valores por parte de Temer.

Segundo Marcelo Odebrecht, o pagamento foi acertado entre Cláudio Melo e Eliseu Padilha. De acordo com o empreiteiro, o acerto do valor foi feito depois da saída de Temer do local.

Também prestaram depoimentos ontem ao TSE os executivos Hilberto Mascarenhas e Alexandrino Alencar. Mascarenhas foi chefe do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, conhecido como departamento de propina, e operava pagamentos da contabilidade paralela da empresa. Já Alencar também foi diretor de relações institucionais da Odebrecht e vice-presidente da Braskem.

A defesa do presidente não havia sido localizada até a conclusão desta edição.

Deixe uma resposta