Noticias

André Moura deve ficar com liderança do governo no Congresso, diz o Estadão

Deputado é cotado para substituir Romero Jucá, que pode virar líder do Senado, no lugar de Aloysio Nunes

Deposto da liderança do governo na Câmara, o deputado André Moura (PSC-SE) deve ser indicado para ocupar a liderança do governo no Congresso no lugar do senador Romero Jucá (PMDB-RR). O peemedebista deve ser deslocado para a liderança do governo no Senado, na vaga que era do novo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).

Inicialmente, Moura – que foi substituído por Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) – seria contemplado com a Procuradoria da Câmara, mas o governo percebeu que a mudança poderia provocar “danos” na base e viu na possibilidade de elevá-lo a líder no Congresso uma chance de não deixar a insatisfação contaminar o grupo político ligado a Moura. O posto de líder no Congresso geralmente é ocupado por um senador.

O deputado vinha de uma relação desgastada com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que chegou a fazer críticas públicas à condução da base aliada por Moura. Maia conseguiu emplacar Ribeiro no cargo e, com o mesmo movimento, destravou a briga entre PP e PMDB pelo comando da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Com a liderança do governo na Câmara ocupada pelo PP, a presidência da CCJ ficará com Rodrigo Pacheco (PMDB-MG).

Relevante. Embora não tenha sido o protagonista nas vitórias do governo na Câmara, a avaliação dos aliados do presidente Michel Temer é de que Moura exerceu um papel relevante no período em que liderou os aliados na Casa. Cabia a Moura ligar para os parlamentares cobrando presença em plenário e levar ao governo as demandas dos deputados.

As conversas ainda estão acontecendo, e a mudança deve ser confirmada nos próximos dias. Amanhã, alguns líderes da base aliada se reunirão com Maia para traçar a estratégia de articulação política para aprovar as matérias de interesse de governo. Também será discutido como se dará a divisão de tarefas entre Ribeiro e Lelo Coimbra (PMDB-ES), novo líder da Maioria na Câmara. O novo cargo foi criado para contemplar o PMDB, insatisfeito com a falta de espaço no governo, mas ainda não está claro qual seria a função prática de Coimbra.

Aloysio vai manter equipe de Serra

O novo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, manterá os principais integrantes da equipe formada por seu antecessor, José Serra. O embaixador Marcos Galvão permanecerá na secretaria-geral, posto número dois na hierarquia da pasta.

O embaixador Roberto Jaguaribe continuará à frente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). O gabinete de Nunes será chefiado pelo embaixador Eduardo Saboia, que o assessorou na Comissão de Relações Exteriores e no gabinete no Senado. Saboia ficou conhecido por ter ajudado o ex-senador boliviano Roger Pinto Molina a sair clandestinamente de seu país, em 2013. A posse de Aloysio está marcada para terça-feira.

Deixe uma resposta