Noticias

Vale inicia busca de novo presidente, diz o Valor

Os acionistas controladores da Vale, reunidos na holding Valepar, vão definir na próxima semana o nome da consultoria de “headhunter” que vai conduzir o processo de escolha do novo presidente da mineradora. Em 26 de maio encerra-se o terceiro contrato de Murilo Ferreira, que na sexta-feira reuniu a diretoria da empresa e anunciou sua saída.

Segundo apurou o Valor, a decisão dos acionistas foi contratar uma companhia de recrutamento de executivos de renome internacional. Pelo menos meia dúzia de empresas desse setor se destacam globalmente as americanas Korn Ferry, Spencer Stuart, Russell Reynolds e Heidrick & Struggles, a suíça Egon Zehnder e a belga Odgers Berndtson.

Conforme um grande conhecedor dessas área, Spencer, Heidrick, Russel e Egon Zehnder são especializadas no recrutamento de presidentes para empresas.

A consultoria escolhida deverá, ao final do processo, que envolverá uma série de encontros e entrevistas com os potenciais candidatos, apontar três nomes aos acionistas da Vale, dentro do perfil traçado para ocupar o comando de uma mineradora com o peso internacional da Vale.

Pelo lado dos acionistas, estarão na linha de frente desse processo os presidentes do Banco do Brasil (patrocinador do fundo de pensão Previ, que é o maior acionista individual da Vale) e do Bradesco, respectivamente Paulo Caffarelli e Luiz Carlos Trabuco. Por meio da Bradespar, o Bradesco é o segundo maior acionista. Estão ainda no bloco de controle a trading japonesa Mitsui e BNDESPar, braço de participações do BNDES.

O contrato de Ferreira não foi renovado pelos acionistas e há cerca de um ano a sua saída da empresa já era reivindicada por parte do governo federal e grupos políticos de Minas Gerais. O executivo vai completar um período de seis anos à frente da empresa. Ele substituiu em maio de 2011 Roger Agnelli falecido há um ano em acidente de avião. Seu nome teve a indicação da então presidente da República, Dilma Rousseff, e do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega.

Vários nomes são apontados como candidatos ao cargo ocupado por Ferreira na maior produtora mundial de minério de ferro. Mas, na avaliação de pessoas próximas aos acionistas, existe muita especulação e nenhuma decisão tomada sobre o novo executivo. A consultoria receberá a tarefa de fazer um processo seletivo bem criterioso.

Entre os nomes citados aparecem os de Nélson Silva (atualmente na Petrobras), Tito Martins (na Votorantim Metais), José Carlos Martins (consultor) e Eduardo Bartolomeo (conselheiro na Vale, indicado pelo BNDES. os quatro tiveram passagem em cargos de diretoria na Vale.

Outros dois apontados Rômulo Dias (diretor do Bradesco) e Gesner Oliveira, exSabesp. Os nomes de dois diretores atuais da Vale também são apontados Clóvis Torres (próximo de Ferreira) e Luciano Siani (financeiro).

O novo presidente da Vale terá de reunir condições para conduzir uma nova estratégia para a companhia. A empresa, na semana passada, divulgou plano de unificar suas ações e de se listar no Novo Mercado da BM&FBovespá, segmento de mais alto grau de governança corporativa da bolsa. Um novo acordo de acionistas, substituindo o atual, que vence em abril, também deve ser oficializado ainda neste ano, com vigência até novembro de 2020.

 

Deixe uma resposta