Noticias

MPF pede à Suíça acesso a contas de filhos de Lobão, diz o Estadão

A Procuradoria-Geral da República solicitou a autoridades suíças extratos de contas bancárias de dois filhos do senador Edison Lobão (PMDBMA) para serem analisados por investigadores da Operação Lava Jato. Segundo sentenças de tribunais suíços, o parlamentar está entre políticos brasileiros investigados por corrupção e seus filhos, Edison Lobão Filho e Márcio Lobão, têm contas bloqueadas no país europeu. O órgão brasileiro pediu também a manutenção do bloqueio dos recursos.

Segundo sentenças de 15 de julho de 2015, às quais o Estado teve acesso, delações premiadas na Operação Lava Jato “revelaram um vasto sistema de corrupção, de financiamento de partidos e de lavagem de dinheiro”. “Partidos políticos e empresas fazem parte da investigação. Entre as pessoas está Edison Lobão. Seus dois filhos, Edison Lobão Filho e Márcio Lobão, também são alvo da investigação brasileira”, afirma a decisão.

O Ministério Público da Suíça confirmou que as contas estão em nome de Lobão Filho e Márcio, alvo já da Polícia Federal no Brasil. As suspeitas são de que as contas receberam depósitos de origem criminosa e, por isso, os recursos estão bloqueados em mais de uma conta há dois anos – um processo criminal foi aberto contra ambos. “Podemos informar que o Escritório do Procurador-geral da Suíça abriu processo criminal em fevereiro de 2015”, indicou o MP suíço em comunicado. “Nesse contexto, a Procuradoria-Geral congelou contas bancárias”, afirmou. A investigação está em andamento e os valores bloqueados não foram revelados.

Lobão é presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e, segundo procuradores suíços, as contas não estão em seu nome, mas de pessoas e empresas ligados a ele. A movimentação de somas de dinheiro sem justificativa levantou a suspeita.

O Estado apurou que o banco usado para os depósitos, diante do surgimento do nome de Lobão em delações da Lava Jato, optou por comunicar às autoridades suíças a existência das contas, que estão sob suspeita de ter recebido dinheiro de propina de obras no setor elétrico – em especial da Usina de Belo Monte.

Recurso. Os filhos de Lobão recorreram ao bloqueio e tentaram impedir que os dados sejam enviados ao Brasil. Por duas vezes, os tribunais suíços rejeitaram os pedidos apresentados pelos titulares das contas. Os advogados alegaram que não há provas de que o dinheiro tenha origem suspeita. Os juízes, porém, rejeitaram o argumento.

A defesa de Lobão afirmou que ele “não tem motivo para se preocupar” com o bloqueio preventivo das contas bancárias de seus filhos no exterior. O advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, reafirmou que o parlamentar não tem contas fora do País. “Ao que consta, os filhos podem ter conta, mas são contas regulares, declaradas. Mas sou advogado do senador, e ele não tem nenhuma conta no exterior”, disse Kakay.

Deixe um Comentario