Noticias

Helicópteros oficiais foram quase 1.500 vezes a casa de Cabral, diz a Folha

Os helicópteros do governo do Rio pousaram quase 1.500 vezes entre 2007 e 2014 no condomínio Portobello, em Mangaratiba, onde o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) tem casa de veraneio.

Em 2011, ano com a maior frequência de voos para o refúgio, foram 241 aterrizagens no local, duas a cada três dias em média. Há casos de mobilização de mais de uma aeronave para levar passageiros para o local, com decolagens em sequência do heliponto do governo.

A lista de voos de helicópteros do Estado para a residência de veraneio do governador foi fornecida pela Subsecretaria Militar à Justiça estadual, em ação popular movida pelo procurador aposentado Cosmo Ferreira, que aponta suposto abuso no uso das aeronaves.

Cabral depôs nesta terça-feira (21) por videoconferência no caso. À juíza Luciana Lopes, da 8ª Vara de Fazenda Pública, o ex-governador afirmou que “pode” ter usado as aeronaves para fins particulares.

“No fim de semana posso ter me deslocado para compromissos particulares”, afirmou o peemedebista, que vestia uma camisa branca, calça azul, tênis, e aparentava estar mais magro.

O ex-governador afirmou que ele e seus familiares recebiam ameaças de criminosos, motivo pelo qual o uso das aeronaves era recomendado pelas autoridades de segurança. Versão semelhante já havia dado em julho de 2013, quando a revista “Veja” mostrou embarques de Cabral com familiares, funcionários e até o cachorro da família nos helicópteros do Estado.

Cabral está preso em Bangu desde novembro sob acusação de cobrar propina em obras públicas em processo da Justiça Federal. Ele falou numa sala da penitenciária.

Ele admitiu que, em alguns casos, seus filhos e a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo usaram sozinhos os helicópteros do Estado –informação também dada pelo piloto André Benvenuti de Moura Alcântara.

“Tinha vezes que ficava até muito tarde no Palácio [Guanabara, sede do governo], e eventualmente meus filhos e mulher iam antes e eu ia depois”, disse.

VOOS EM SEQUÊNCIA

A lista da subsecretaria mostra voos em sequência num mesmo dia. No dia 1º de janeiro de 2011, por exemplo, o Estado usou quatro aeronaves que realizaram nove voos chegando ou partindo de Mangaratiba. No dia 7 de março do mesmo ano, Carnaval, três aeronaves foram usadas para seis voos.

Em 20 de fevereiro de 2007, dois helicópteros do Estado decolaram juntos em plena madrugada, às 2h15, tendo como destino Mangaratiba.

A lista enviada pela subsecretaria não possui nome dos passageiros. Mas referem-se a pedidos de liberação de helicópteros feitos pela governadoria tendo como destino ou origem Mangaratiba.

A frequência de voos se reduz drasticamente a partir de agosto de 2013, após a reportagem da “Veja”, quando Cabral decide regulamentar o uso das aeronaves oficiais.

Até 2012, o ano com menor número de pousos em Mangaratiba foi em 2007 (192), com uma média de um a cada dois dias. No total, foram 1.481 pousos e decolagens na cidade durante a gestão Cabral.

De agosto de 2013 a março de 2014, quando Cabral renunciou, foram 59 pousos ou decolagens no local –média de uma a cada quatro dias.

“Não havia regulamentação sobre uso de helicóptero. Fui o primeiro governador a estabelecer um ordenamento”, afirmou o ex-governador.

A juíza determinou uma perícia para determinar o custo dos voos, além de identificar o possível abuso.

Deixe uma resposta