Noticias

Safra de grãos deve crescer 20,3% e atingir nível recorde, projeta IBGE é a manchete do caderno de economia do Estadão

A safra brasileira de grãos deve atingir 221,4 milhões de toneladas este ano, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Se confirmado o número, será um crescimento de 20,3% em relação à safra do ano passado, e a maior colheita de grãos da história.

Os dois principais grãos estão com estimativa de safra recorde: milho e soja”, disse Carlos Alfredo Guedes, analista da Coordenação de Agropecuária do IBGE. “A principal explicação é o clima, que foi muito prejudicial para a safra de 2016 e tem beneficiado as lavouras este ano.” Outros fatores que estimulam as previsões otimistas são o aumento na área plantada e o empenho dos produtores nos cuidados com a lavoura. “Com os preços mais favoráveis, o produtor investiu em semente de qualidade e alta tecnologia”, disse Guedes.

Para analistas, a previsão de safra recorde dá um alento para a economia, já que a recuperação de outros setores, como a indústria, ainda deve demorar. A agricultura responde por cerca de 5% do PIB brasileiro, mas, contando toda a cadeia do agronegócio, essa participação chega a 22%, segundo José Carlos Hausknecht, consultor da MB Associados. Para ele, a expectativa de safra recorde deve dar um fôlego aos agricultores, que poderão retomar os investimentos nas lavouras.

José Vicente Ferraz, do Informa Economics, lamenta apenas que os preços das commodities agrícolas, sobretudo de grãos, não estejam no seu pico, o que poderia dar um impulso ainda maior à economia. O preço médio da saca de 60 quilos de soja neste mês, por exemplo, está em R$ 58,61 (na região de Mato Grosso), 7% menos que no mesmo período do ano passado, mas 14% acima de dois anos atrás.

Para Felipe Novaes, analista do setor de agronegócio da consultoria Tendências, as boas notícias vindas do campo devem também reduzir os preços dos produtos agropecuários ao longo de 2017. “Estamos esperando quedas generalizadas”, disse. Mas, segundo ele, diante de uma demanda doméstica ainda fraca e de uma oferta maior de produtos agrícolas no mercado externo, os produtores brasileiros terão de se esforçar mais para escoar a produção. “O cenário este ano é um pouco mais desafiador. Temos outros países com uma oferta folgada, e o cenário global está bem abastecido”, disse.

De acordo com o IBGE, a produção de soja deve alcançar o recorde de 107,04 milhões de toneladas, 11,8% superior à de 2016. Os produtores de milho também esperam uma safra inédita, de 88,014 milhões de toneladas, um salto de 38,9% em relação ao ano passado. O desempenho é puxado pelo avanço de quase 50% esperado na segunda safra do grão.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) também divulgou ontem sua estimativa para a produção de grãos na safra 2016/17: 219,11 milhões de toneladas, o que corresponde a um aumento de 17,4% em relação à safra 2015/16.

Deixe uma resposta