Noticias

Para 52%, Temer está ‘abaixo das expectativas’, mostra pesquisa é o título de matéria no Valor

As expectativas da população brasileira em relação ao mandato do presidente Michel Temer nunca foram muito altas, já apontaram diversas pesquisas. Agora, um levantamento feito em janeiro pelo instituto Ipsos mostrou que, mesmo assim, o desempenho do governo comandado pelo pemedebista está abaixo do esperado para mais da metade dos eleitores.

Para chegar a essa conclusão, a Ipsos ouviu 1,2 mil pessoas em todo o país entre os dias 5 e 18 de janeiro, período que coincide com o auge da crise penitenciária. Conforme os resultados, 52% dos brasileiros afirmam que, até aqui, o desempenho do governo Temer ficou abaixo das expectativas. Outros 13% afirmam que não tinham expectativa nenhuma em relação ao atual governo.

Conforme o instituto, apenas 12% dizem que o desempenho do governo está dentro das expectativas. E só 1% disse que Temer superou as expectativas. Para um quinto grupo, ainda é muito cedo para avaliar. São 17%.

Em outubro de 2016, a cautela em relação à gestão Temer era maior: 36% já diziam que o governo estava abaixo das expectativas, mas 24% avaliavam que era cedo para dizer.

As restrições não dizem respeito só ao que já passou. Pouco mais de um terço do eleitorado (34%) não tem nenhuma expectativa em relação ao futuro do governo Temer. Em outubro, esse contingente somava 24%.

A Ipsos também investigou a percepção do governo Temer em relação às gestões dos dois últimos presidentes da República.

A gestão Temer é vista como pior que a de Dilma Rousseff, de quem era vice, por 40%. Outros 34% a classificam como igual. E só 17% a classificam como melhor. Quando a comparação é feita com a gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o contraste é ainda maior: 56% acham que o governo Temer é pior que o de Lula; 21%, igual; 13%, melhor.

Um levantamento de intenções de voto feito em dezembro pelo Datafolha mostrou que Lula lidera as simulações de primeiro turno em diferentes cenários.

A pesquisa da Ipsos mostra ainda que as taxas de aprovação e reprovação de Temer não sofreram mudanças relevantes desde dezembro. Para 59% trata-se de um governo ruim ou péssimo; 27% o classificam como regular; e 6%, como bom ou ótimo.

A margem de erro é de 3 pontos. A Ipsos informa que a pesquisa foi feita com recursos próprios.

Deixe uma resposta